Notícias

Corpo de Bombeiros tem novo comandante-geral

@Fonte: Pernambuco.Com - Local - 07/11/2019


Neste fim de semana acontece a 5ª edição do 'Construalpha PE', evento voltado para a construção civil de Pernambuco, na área externa do Clube Alphaville Pernambuco 1, em Jaboatão dos Guararapes. Neste ano, o evento contará com a participação da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, que montará um estande para tirar dúvidas do público no que se refere aos requisitos necessários para construir ou reformar.

A proposta do evento é de orientar os clientes e expositores sobre as questões legais que precisam ser cumpridas, além de outros serviços que serão oferecidos pela prefeitura.

Ainda, no estande da prefeitura, os participantes do evento poderão negociar dívidas de IPTU com descontos que vão até 90%, nos juros e multa para pagamento à vista e percentuais menores, de forma escalonada, no caso de parcelamento, além de preços e condições especiais para pagamento de ITBI, entre outros tributos.O coronel Rogério Antônio Coutinho da Costa, de 48 anos, é o novo comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Pernambuco. Com 28 anos de corporação, ele foi empossado na manhã desta quinta-feira (7) pelo governador Paulo Câmara, no Quartel do Comando Geral, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife. Coutinho substitui coronel Manoel Cunha, que encerrou a gestão após 5 anos e 4 meses.

Durante as duas décadas que faz parte do corporação, o coronel Coutinho já foi diretor de Logística e Finanças e do Comando do Grupamento de Incêndio, Salvamento e Atendimento Pré-hospitalar (GBAPH), alcançando a maior patente Bombeiro Militar em 2015. A carreira dele começou na Academia de Polícia Militar, no município de Paudalho. Casado e pai de uma filha, o comandante é graduado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

A partir de agora, a liderança dos 2,5 mil bombeiros será encarado como mais um desafio da profissão. "Fico muito feliz e honrado. Temos um grande desafio pela frente. Vamos dar continuidade ao trabalho do ex-comandante Cunha. Temos o estado inteiro para tomar conta e toda a sociedade pernambucana para cuidar. Mas com o apoio da Secretaria de Defesa Social, dos órgãos operativos e das Polícias Militar, Civil e Científica, com certeza faremos um bom trabalho", comentou o comandante.

Sobre os planos para a nova gestão, Rogério Coutinho afirma que dará continuidade ao processo de interiorização com a inauguração de unidades no Agreste e no Sertão. "Eu fazia parte da gestão anterior. Então participei de todo o planejamento e o objetivo inicial é a gente concluir alguns projetos que ficaram pendentes, como os quartéis que serão inaugurados em Arcoverde, Macaparana e continuar com as aquisições que tiveram os processos licitatórios encaminhados. Já temos recursos disponibilizados para receber materiais e viaturas para dar um suporte maior ao atendimento à sociedade", disse.

O coronel Manoel Cunha, que comandou a corporação nos últimos cinco anos, definiu sua gestão como participativa e comentou que sai com sentimento de dever cumprido. Durante seu comando, ocorreram 3,3 mil progressões de carreira. "Trabalhamos com todos oficiais e praças, entendo os anseios da tropa e da população. Contei com muito apoio do governador do estado, que nos deu as ferramentas necessárias para melhorar os serviços do bombeiro no interior do estado, principalmente, e a progressão de carreira da minha tropa. Agradeço ao governador e ao secretário toda confiança em mim depositada nesse período de gestão e conclamo todo o efetivo da minha amada corporação a se integrar e apoiar o comandante Coutinho", comemorou.

Durante a transmissão de cargo, o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua elogiou o trabalho do coronel Cunha lembrando que foram inauguradas oito unidades durante os últimos cinco anos. "É um momento importante, depois de quase seis anos, essa mudança de comando no Corpo de Bombeiros. O ex-comandante Cunha fez um belíssimo trabalho à frente da corporação, com a renovação dos quadros, houve concurso público, convocação de novos bombeiros militares em 2018. Ainda fizemos a interiorização, que foi muito importante para o estado com oito novas unidades. Agora é dar continuidade e consolidar todo esse ganho que foi realizado ao longo desses últimos anos e melhorar ainda mais a qualidade do serviço prestado", afirmou.

- Concurso:

Durante a posse, um grupo de 20 remanescentes do concurso de Bombeiro Militar realizado em 2017 cobrou do secretário uma resposta sobre novas convocações. "São 245 aprovados em todas as etapas do concurso e só falta a convocação do governador. A última promessa foi que em dezembro desse ano iria começar uma nova turma de formação para os praças. Continuamos aguardando", comentou Felipe Fonseca, que está desempregado na expectativa de ser nomeado.

Questionado sobre a possível chamada dos remanescentes, Antônio de Pádua não fixou prazo. "A gente está trabalhando para viabilizar o mais rápido possível a convocação dos candidatos remanescentes do concurso, que inicialmente foi previsto para 300 candidatos, que já foram nomeados em 2018. Existe esse remanescente e estamos trabalho para a convocação", comentou.

Minha Casa Minha Vida em alta em Caruaru

Só na faixa comercial do programa, já foram contratadas mais de 11 mil unidades. Empreendimentos têm perfis diferenciados

@Fonte: Portal JC Online - Economia - 24/06/2019


Foi uma espera longa. Mais de nove anos pagando aluguel, até que o sonho finalmente coube no bolso. E coube de um jeito que a auxiliar administrativa Katia Freire, 30 anos, jamais imaginava ser possível. Apartamento com varanda, acabamento de qualidade, prédio com piscina, pista de cooper, espaço gourmet e churrasqueira. “O padrão é muito acima do que eu esperava e pensei poder pagar”, diz, feliz da vida. Financiado pelo Minha Casa Minha Vida, o Residencial Acauã, onde Kátia mora, em Caruaru, no Agreste do Estado, reflete o excelente mercado que a cidade se transformou para as construtoras que investem na faixa comercial do programa. Fora da Região Metropolitana do Recife, Caruaru é hoje o município com maior número de unidades habitacionais contratadas pelo MCMV. Foram mais de 11 mil moradias nas faixas 1,5, 2 e 3, em dez anos de existência do principal programa habitacional do País.

Rogério Mori, sócio-diretor da Mori Mori Empreendimentos, nunca havia ouvido falar da cidade. Empresário paulista, tinha atuado no mercado da Bahia, construindo imóveis do Minha Casa Minha Vida. Foi em Brasília, no Ministério das Cidades, que teve a indicação de investir em Caruaru. “Na época, disseram que a maior demanda do Nordeste estava no município. Chegamos em 2014 e não saímos mais”, conta o construtor. Pelo contrário.

O primeiro investimento da Mori Mori em Caruaru foi o Residencial Acauã, onde a auxiliar administrativa Kátia Freire mora. O empreendimento, com 352 apartamentos, está 100% vendido e as últimas unidades serão entregues com um ano de antecedência. “Apostamos em tecnologia e entregamos um residencial de altíssimo nível, com fiação toda embutida, acabamentos de qualidade, conforto e segurança. É um produto diferenciado dentro da faixa comercial do programa”, afirma Rogério Mori.

O tamanho do próximo projeto da construtora paulista dá uma ideia do otimismo do empresário com o Minha Casa Minha Vida na cidade. A Mori Mori pretende construir o Residencial Neuza Garcia, com 5 mil casas, um investimento previsto para ser entregue em um prazo de dez anos. “Serão dez módulos de 500 unidades. Já lançamos no mercado as primeiras 300 casas. A expectativa com o programa é excelente. Acredito que o governo federal promoverá ajustes, mas avalio que eles sejam importantes para melhorar a qualidade dos empreendimentos financiados pelo MCMV”, diz Rogério Mori.

VELOCIDADE NAS VENDAS

Um exemplo do quanto o mercado local está aquecido em relação à expansão do programa na cidade é o Residencial Xique-Xique, da Viana & Moura Construções. A empresa, nascida em Belo Jardim, também no Agreste de Pernambuco, tem seu principal foco de investimento em Caruaru. Mais de 50% do faturamento da construtora vem dos empreendimentos do MCMV lançados no município. “Não temos estoque de imóveis em Caruaru. Tudo o que a gente constrói vende. São 70 casas entregues todo mês”, pontua o diretor da Viana & Moura, Charles Ruas. Atuando em quatro cidades do interior, a construtora já vendeu mais de 4.500 casas pelo MCMV, sempre voltados para os clientes com renda de 1 a 3 salários mínimos.

Renata da Silva, 33 anos, precisou juntar o salário dela e o da irmã para ter direito ao financiamento pelo programa. Enfrentou burocracia, limpou o nome no Serasa e, em março do ano passado, finalmente recebeu as chaves da casa própria no Residencial Xique-Xique. O imóvel de dois quartos, banheiro, sala e cozinha conjugadas, abriga a mãe, a irmã, o marido e o filho. Muita gente para pouco mais de 46 metros quadrados. Nada que abale a felicidade de Renata. “Até hoje não acredito que eu consegui. Agora, aos poucos, quero fazer uma reforma e ampliar a casa. Mas não tenho pressa, porque esse canto é meu. Daqui, ninguém me tira”, diz, cheia de orgulho.